Posted on / by Lapidare / in Trends

Instituto Lapidare reúne renomados dermatologistas em curso inédito no Brasil

Um olhar individual exclusivo, a naturalidade na técnica empregada e a responsabilidade na excelência médica. Estes são os três conceitos que norteiam a prática dermatológica e senso estético dos dois mais renomados médicos do país, Dr. André Braz e Dra. Eliandre Palermo. Consagrados por serem verdadeiros escultores da face, priorizando as características e singularidades de cada paciente, eles demonstram aos colegas técnicas de avaliação e tratamento seguros e eficientes para rejuvenescimento e embelezamento.

Para “lapidar” a beleza existente em cada pessoa, sem exageros e longe dos “modismos”, os profissionais utilizam a experiência de mais de uma década de conhecimento em Anatomia, iniciada por meio de qualificações no exterior, especialmente nos Estados Unidos, em Fresh Frozen Specimen, tecnologia aprovada recentemente no Brasil e utilizada de forma inovadora pelo Instituto Lapidare, localizado em Balneário Camboriú (SC).

Com as capacitações em cadáveres frescos, os dermatologistas aperfeiçoaram as técnicas, ampliando a precisão e a segurança dos procedimentos. A experiência se tornou o diferencial em conhecimento anatômico, consolidando-os como verdadeiros artistas.

“A Anatomia em cadáver fresco é crucial para quem faz preenchimento facial. Sem os estudos neste campo os procedimentos são irresponsáveis. Além disso, é preciso sempre abordar os parâmetros de beleza, as diferenças entre homem e mulher, e individualizar a beleza para que os resultados não sejam inestéticos e superficiais, o que é comum atualmente”, destaca o dermatologista Dr. André Braz.

Para garantir que os rostos não se tornem todos iguais com os mesmos detalhes, como vem ocorrendo nos últimos anos com procedimentos similares, os especialistas criaram técnicas destinadas a realçar a beleza, valorizando as diferenças, respeitando as características individuais e os formatos de cada rosto, além da aplicação do procedimento mais adequado e seguro para cada caso.

A Dra. Eliandre Palermo lançou em 2019, durante o congresso Master Injector Academy, a técnica denominada WWW (where, what, which) para definir o local ideal e seguro para aplicar os tratamentos injetáveis, qual a melhor técnica e qual será o produto mais adequado para determinado paciente. Desta forma, o médico consegue sistematizar a avaliação do tratamento facilitando o aprendizado e aperfeiçoando a técnica.

As variações da face embasam a técnica ABFace Tecnique, criada pelo Dr. André Braz, que tem por princípios a avaliação facial para o diagnóstico preciso e correto. O médico analisa os pontos fracos e fortes de cada formato do rosto, levando em consideração as diferentes formas que existem como o rosto em coração, redondo, oval e angulado, que por apresentar ângulos diferentes, exigem diferentes abordagens.

Além das especificidades de cada formato, o dermatologista examina quatro idades diferentes: aos 25 anos, pacientes que não perderam volume facial; após os 40 quando já há alteração hormonal e redução de colágeno; aos 55, geralmente com as mudanças provocadas pelo climatério; e por volta dos 70 anos. A técnica obedece as variadas formas de envelhecimento de acordo com os diferentes formatos de rosto, e como proceder em cada caso, em cada idade, em cada face, respeitando e valorizando a individualização da beleza associada à parte anatômica.

“É possível tratar em idades diferentes, mas a indicação muda totalmente para cada situação. Por exemplo, hoje a geração dos Millennials, pacientes novos que não têm perda de volume, nem queda hormonal, querem melhorar alguma parte do rosto. Quando há uma assimetria grande ou proporção que não está adequada, o embelezamento neste caso, se bem diagnosticado, faz sentido. Quando começa a ter perda de volume, geralmente a partir dos 35 anos de idade, pode haver atrofia de gordura pela redução do hormônio feminino, e isso requer reposição. Mas precisamos repor o que está sendo perdido, sem exageros. Quando vem a menopausa existe queda importante dos hormônios femininos, o que exige uma maior reposição, mas sempre mantendo a naturalidade”, enfatiza o Dr. André Braz.

Para a Dra. Eliandre Palermo um grande equívoco que existe, principalmente entre os mais jovens, é esperar envelhecer para começar a cuidar do rosto. De acordo com a dermatologista a prevenção é fundamental para evitar procedimentos mais invasivos e com maior risco. “A partir de determinada idade ocorre uma perda da reposição da estrutura óssea. Para reposicionar os músculos e remover a pele flácida, a cirurgia pode ser indicada, mas ela não promove a reestruturação global da parte óssea e dos coxins de gordura. Além disso, não trata a pele. Por isso é necessário fazer a manutenção destas estruturas com os tratamentos não cirúrgicos como Ácido Hialurônico, bioestimuladores, toxina botulínica, laser, ultrassom microfocado, entre outros tratamentos de prevenção do envelhecimento e promoção de colágeno. É importante neste processo que o paciente preserve suas feições, e mantenha a naturalidade nos procedimentos “ alerta a Dra. Eliandre Palermo.

Outro diferencial dos dermatologistas é a perfeição e a cautela na aplicação de quaisquer procedimentos. “O melhor injetor é o profissional que consegue ter o mais exitoso resultado com o menor número de seringas. Porque quem sabe o que está fazendo, elabora o diagnóstico correto, planeja todo o programa com o paciente, e ao realizar a aplicação, otimiza o preenchedor. Não é só questão cosmética de resultado, mas uma questão anatômica”, explica o Dr. André Braz.

Para os dois consagrados dermatologistas, a naturalidade é sinônimo de beleza e de individualidade. Os procedimentos devem aperfeiçoar, sem alterar a face, sem comprometer as características que tornam cada pessoa tão singularmente bela, complementa a Dra. Eliandre Palermo. Segundo ambos, o parâmetro de sucesso em cada caso é a pessoa se sentir bem.  Para quem observa o resultado, saber que algo está melhor, mas sem conseguir identificar exatamente o que mudou.

“Sempre falo nas minhas palestras que como profissionais, devemos dar a liberdade para o nosso paciente de dizer se fez algo ou não. Ele não pode ter uma cara de que fez algum procedimento estético, visivelmente. A sensação de que estamos melhores, mais jovens, deve ser transmitida, sem a clara evidência de que foi realizado um preenchimento. Afinal, temos que ter muita responsabilidade porque nosso objeto de arte não é um mármore ou bronze, é muito mais precioso, é o ser humano”, conclui o Dr. André Braz.
 
Face Anatomy Masterclass

Referenciais tanto no Brasil, como em todo o mundo, Dr. André Braz e a Dra. Eliandre Palermo, ministraram pela primeira vez um curso juntos, o Face Anatomy Masterclass, promovido pelo Instituto Lapidare, em Balneário Camboriú (SC). Amigos de longa data e com ampla experiência na aplicação das técnicas em cadáveres frescos, eles contaram ainda com a participação de um time de renomados professores especialistas em dermatologia, cirurgia plástica e anatomia. Professor Alfredo Jácomo, Patricia Ormiga, Sergio Serpa, Maria Claudia Issa e Luddi Oliveira.

O Professor Jácomo é titular de anatomia da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) e junto com o time de professores compartilharam os conhecimentos, experiências e técnicas para mais de 80 profissionais do país, nesta capacitação inédita e inovadora.

A realização do curso é um antigo sonho dos dois colegas de profissão. Isso se tornou possível devido à estrutura diferenciada do Lapidare, um dos únicos centros médicos do país a capacitar os profissionais por meio de simulações em condições “real life” para procedimentos estéticos invasivos na face por meio da utilização de cadáveres Fresh Frozen Specimen.

“O Lapidare tem um diferencial que não se encontra em nenhum outro lugar do mundo onde fiz ou ministrei curso. A possibilidade de mostrar ao aluno de forma simultânea, toda parte anatômica associada à parte clínica é inédita no Brasil. Quando as pessoas observam no 2D, ou mesmo em vídeos, têm uma ideia da localização, mas não é possível ter essa questão de estratigrafia. Quando o aluno visualiza no cadáver e ao mesmo tempo na paciente com movimento, com mímica, com expressão, fortalece na sua mente onde estão os locais e os motivos que são fundamentais para que ele faça o procedimento em determinada região. Esse diferencial traz uma riqueza inigualável aos cursos do Lapidare”, observa a Dra. Eliandre Palermo.


Na opinião dos conceituados dermatologistas, para estar em um nível de técnica superior e de qualidade de tratamento é necessário realizar cursos de Anatomia como o Face Anatomy Masterclass. Durante três dias, a qualificação ministrada pelos renomados Dr. André Braz e pela Dra. Eliandre Palermo capacitou médicos de diversos estados brasileiros para as práticas e atendimentos diários com injetores, utilizando as técnicas mais avançadas com inovação e excelência.

O curso foi dividido em uma parte teórica, seguida de uma parte prática com transmissão em “real time”, inter-relacionando a dissecção dos cadáveres frescos realizada pelos speakers com a apresentação clínica do paciente. No dia seguinte, os alunos tiveram uma experiência imersiva na dissecção de fresh frozen specimen, aplicando o conhecimento na prática.

E ainda, todos os dermatologistas que participaram da capacitação foram certificados pela American Heart Association, para tratamento das emergências no consultório dermatológico, além do suporte básico de vida e atendimento à PCR e intercorrências que, porventura, aconteçam nestas situações.

Deixe uma resposta