Posted on / by adminlapidare / in Uncategorized

REGRAS DO MARKETING MÉDICO: O QUE PODE E O QUE NÃO PODE?

Seguir as regras do marketing médico é essencial para que o profissional possa se comunicar com o público de maneira correta, ética e responsável. Antes de dar início a qualquer estratégia de produção de conteúdo para as redes sociais, o médico deve saber o que pode e o que não pode ser publicado.

Hoje vamos falar sobre o que é permitido e o que é proibido pelo Conselho Federal de Medicina – CFM em relação à publicidade médica.

O que não pode no Marketing Médico
Selfies com pacientes
O Conselho Federal de Medicina é claro em relação à publicação de selfies por parte dos médicos: elas são proibidas e não devem ser publicadas nem mesmo com autorização do paciente. A regulamentação do CFM leva em consideração a proteção da privacidade e o anonimato inerentes ao ato médico. Portanto, nada de selfies.

Fotos de “antes e depois”
Diferentemente do que preconiza o Conselho de Odontologia, médicos ou estabelecimentos de assistência médica não podem publicar imagens de “antes e depois”. Além disso, o CFM orienta a investigação por parte dos Conselhos Regionais de publicações feitas por pacientes ou terceiros, de modo reiterado e/ou sistemático, de imagens desse tipo nas mídias sociais. É importante saber que, mesmo que o seu paciente publique nas redes sociais dele, você não pode fazer repost nas suas redes.

Divulgar preço de consultas e tratamentos
O CFM proíbe a divulgação de preços de procedimentos ou modalidades aceitas de pagamento/parcelamento. Além disso, também são vetadas concessões de descontos como forma de estabelecer diferenciais na qualidade do serviço. Lembre-se que seus pacientes não devem ir ao seu consultório levando em consideração o valor cobrado, mas sim a qualidade do seu trabalho. Afinal, são anos de estudo e dedicação para atuação na área e não há como colocar um desconto nisso, certo?

O que pode no Marketing Médico

Divulgar serviços
É permitido que o médico divulgue seus serviços em sua rede social ou em qualquer outro meio, desde que atenda algumas regras do Marketing Médico. Entre elas, informar sua especialidade – no máximo duas, seu registro no CRM e o RQE referente à especialidade divulgada. No entanto, é preciso tomar cuidado para não assumir um tom sensacionalista, classificando o serviço e o atendimento como “o melhor” ou “o mais eficiente”, por exemplo.

Criar um blog
Não é permitido ao médico que realize consultas pelo seu site, blog ou redes sociais, mas é possível criar um blog e disponibilizar informações sobre saúde. Essa é uma forma de disseminar conteúdos relevantes à comunidade e contribuir para construir sua autoridade no meio digital.

Além disso, do ponto de vista do Marketing Médico, o blog é uma ótima forma de melhorar o seu posicionamento nos resultados de buscas do Google. Assim, mais pessoas poderão achar seu site, conhecer seus serviços e ter você como uma referência em sua área.

Fazer referência aos equipamentos que sua clínica dispõe
Em suas redes sociais, assim como em qualquer outro meio, a divulgação de equipamentos é um ponto que demanda cuidado. O Manual do Codame coloca que a propaganda de equipamentos não pode ser realizada “em troca de vantagens econômicas oferecidas por empresas ou pela indústria farmacêutica”.

Mesmo não sendo o caso, a divulgação de equipamentos pode ser entendida como “autopromoção, no sentido de aumentar a clientela”. Além disso, a Resolução CFM 1974/11 proíbe o médico de “realizar ou participar de demonstrações técnicas de procedimentos, tratamentos e equipamentos de forma a valorizar domínio do seu uso ou estimular a procura por determinado serviço”. Assim, é aconselhável ter bastante cautela. Por fim, lembre-se que essa divulgação nunca deve ser feita de forma a colocar esses equipamentos como melhores ou como garantia de resultados.

Marketing de Conteúdo para atender às regras do Marketing Médico
Um dos principais objetivos do Marketing de Conteúdo em saúde é construir a autoridade do profissional ou instituição de saúde no meio digital. Através da informação relevante, é possível se posicionar, divulgar serviços e sua marca.

Para isso, é imprescindível que o profissional apresente uma postura ética, tanto nas redes sociais quanto em qualquer outro canal. O Marketing Médico não deve ser visto como uma forma de enaltecer o profissional a qualquer custo. Pelo contrário, ele serve para definir estratégias que divulguem o conhecimento desse profissional para as pessoas certas, com muita responsabilidade.

Ter uma imagem digital fortalecida também passa pelo cumprimento das regras do marketing médico.

Raro é ser Lapidare.

Deixe uma resposta